Tuesday, August 22, 2006

Crisálida

E cá estou eu dentro da minha crisálida... E perguntam vocês, "Mas já ñ és uma bela borboleta?!", Sou!, "Então porque voltaste à crisálida?", Ñ sei...

O q é certo é q voltei, ñ me parece q seja para recuperar forças, pq estou a pleno vapor, nem para lamber feridas, pq ñ as tenho para lamber; a única coisa q me ocorre é a fuga, lá estou eu a fugir das pessoas, a ñ deixar ninguém aproximar, poderia ser por medo de me voltarem a magoar, mas ñ, ou pelo menos ñ conscientemente, pq sinto vontade de alargar horizontes e tudo o resto, sem pensar na possibilidade das coisas voltarem a correr mal.
Mas então o q me impede? Eu própria.


Vou ter q descobrir o porquê dos porquês....

2 comments:

João Silva said...

até estava capaz de te dar umas palavrinhas de incentivo, mas...sabes como é, as "amigas" têm mais jeito para isso!
Eu É MAIS DO GÉNERO da pancada nas costas e bora lá beber uma cervejola...

mas se calhar até resultava eheh;)

L.B. said...

Em vez de crisálida eu tenho mesmo uma carapaça, e por sinal muito dura por vezes. Por vezes chamo-lhe “escudo invisível” de protecção composto por camadas de energia intensificadas pelo momento. O que é certo é que resulta :), noutros tempos unicamente servia para protecção, tal como o refúgio de algo que acontecera (mas sem resolução futura, apenas para fazer esquecer o presente), hoje vejo-o e utilizo-o como uma reengenharia de pensamentos e ideias, nas quais são necessárias para nos fazer continuar o nosso caminho, e realmente funciona se o quisermos. Se correr de uma forma diferente do esperado, continua-se a repetir até e a verdade nos mostrar o nosso caminho da verdade.

Nada nos impede de sermos felizes.