Tuesday, August 15, 2006

Sentido da vida

Hoje dei por mim a pensar no verdadeiro sentido da vida, posto desta forma, soa a frase feita, e é!

A conclusão a q cheguei é q a vida ñ é para ter sentido, mas sim para termos metas e fazermos o caminho até elas, assim como aqueles labiríntos das crianças onde há uma série de caminhos emaranhados e q tens q escolher um, aquele q te leva ao destino. Só que na vida mtos caminhos te levam ao destino, agora só resta saber de q maneira queres lá chegar...

Já ouvi mtas vezes, esta conversa do "sentido da vida", mas nunca lhe tinha dado "tempo de antena", mas agora q dei, até acho pateta alguém estar preocupado com o sentido q a vida é suposto ter, como já ouvimos mtas vezes, "a vida são férias q a morte nos dá".

Sendo assim, vimos do nada e vamos para o nada, logo, é tudo efémero, passageiro, assim como o tempo q nos acompanha, por isso, já nem falo na parte da meta, q isso fica ao critério de cada um, tê-la ou ñ, falo da parte em q a nossa única certeza é o presente, por isso, olho aberto e mão na rédea!


Acabei agora por me contradizer um bocado, mas é um facto q nem toda a gente tem metas, por mto q eu ache q preciso de as ter para me sentir viva, há provavelmente quem ñ precisa das metas e viva o real "carpe diem". Aqui, no q toca ao sentido da vida, penso q estas pessoas ñ estão minimamente preocupadas com isso!

4 comments:

Aragana said...

Ai.. o CARPE DIEM...

Olha.. OPUS PISTORUM!

;)

Rafael said...

A vida terá sentido quando percebermos a sua origem. No entanto, ainda estamos num estado de inteligência muito primário para o entendermos, apesar de já termos descoberta muita coisa relevante.

Não conseguiste tu encontrar... nem ninguém nos próximos séculos o irá fazer. Não é a pensar como quem pensa no que vai jantar hoje à noite que se encontra a resposta a essa pergunta. Até porque, muitas outras surgem pelo meio. Serão precisas muitas investigações científicas. Perceber o universo, a comunicação entre células e respectivo sistema nervoso, capacidades cerebrais, mecanismos evolutivos da natureza... são exemplos onde ainda estamos a dar os primeiros passos e no qual teremos ainda de correr muito.

Até lá, vamos parar de acreditar em destinos e sermos tão comodistas, passando a ter mais controlo sob a nossa vida. Para além disso, sugiro encarar a vida com um sorriso nos lábios, tendo eu uma sugestão: "Monty Python's The Meaning of Life" (http://www.imdb.com/title/tt0085959/).

Portem-se bem :).

dKin said...

Ñ sei se chegaste a perceber rafael, mas eu acabei por achar pateta tentar chegar a UM sentido para a vida, e ñ tem a ver nem com células, nem com mecanismos evolutivos da natureza.
Quanto ao destino q eu falo é a meta a q nos propomos...

Tb eu tenho uma sugestão, lê o post com atenção e depois reformula o teu comentário se quiseres.

Ah e o filme já vi há mtos anos, tenho q o ver outra vez! Tks pela ideia. ;o)

Rafael said...

Terei de reformular até acertar naquilo que queres ler :)? Eu li o post com normal atenção. Não tenho necessariamente de ficar preso a ele para o comentar :).

Ao falares em sentido da vida, o que me faz sentido falar é o que referi. Acho que termos respostas em certos assuntos a nível cientíco, nos irá ajudar a perceber o que realmente somos.

Podes não concordar, mas isso não significa que eu não tenha percebido o teu post. Aliás, eu no meu comentário não discordei dele :). Apenas talvez a abordagem tenha sido diferente da tua :).