Thursday, May 27, 2010

Opiniões, ou nem tanto...

Ontem tive uma "discussão" com um colega de trabalho que dizia que não gostava de touradas, mas que respeitava os gostos das outras pessoas.
Ora bem, cá para mim isso do respeitar os gostos alheios é muito subjectivo, é um bocadinho como o bom senso, toda a gente tem o seu, e os há muiiiiito duvidosos.
Neste caso, só me apraz dizer que se o tratar mal um touro numa arena é uma questão de gostos, quer dizer que se eu gostasse de andar aos pontapés às pessoas, não havia de fazer mal, gostos não se discutem, dizia ele. Sim é verdade, não se discutem, mas há muitos que são discutíveis... O que nem é o caso, porque goste-se ou não, são pessoas a maltratar um animal, como podiam ser pessoas a maltratar crianças.
Podem pensar que não é a mesma coisa, que sou exagerada, mas para mim é a mesmíssima coisa, são seres que mesmo que, como os touros, tenham os cornos para se defenderem, não escolheram estar ali e muito menos escolheram estar a ser alvo de chacota e agressões.
É por isto que não percebo, 1º, o que é que há para gostar num "espectáculo" desses? 2º, porque é que é tão estranho achar-se, uma coisa reprovável?

7 comments:

lampâda mervelha said...

Mas as pegas até são catitas.

Poetic GIRL said...

Eu também acho repugnante, nem sei como as pessoas são capazes de assitir, quanto mais de aplaudir. É do mais macabro que há. bjs

Sandra said...

Eu considero-me uma pessoa 100% defensora da democracia e respeitadora dos direitos dos outros...Porém, há coisas (poucas)k n consigo compreender e, consequentemente, aceitar... E a tourada é uma delas. P mim, a tourada é um atentdao à vida, aos direitos dos seres k têm(tb)o direito de compartilhar connosco o planeta...Não vejo diferenças entre touradas, lutas de animais, violações e por aí fora...O prazer de ver um ser sofrer e/ou incutir-lhe o sofrimento é bárbaro...E n m venham dizer k os touros são criados p isso, ou já estariam extintos...P mim é desculpa de kem precisa (como pão p a boca) de se afirmar como ser (provavelmente n pensa, ou se pensa, é por engano)...bjs e desculpem o testamento

bonifaceo said...

Eu e as touradas... metem-me nojo. Sempre que passa uma na tv apetece-me logo escrever a dizer mal.
Há factos óbvios que reprovam a tourada, tal como: que ser inteligente (adulto) anda a medir forças com um animal?! Sem pensar nos ferros que são espetados, só por este motivo já é uma coisa parva.
E quanto às pegas, já ouvi dizer que quando puxam o rabo que pode ser muito deloroso para o animal porque é na zona do coccix, e a ser verdade, nem mesmo as pegas aprovo.

bonifaceo said...

*doloroso.

Para concluir:
Como é óbvio sabemos o que é a dor, e venha quem vier, os ferros espetados têm que causar dor, não é por o animal se aguentar em pé com eles e correr que não causa, por isso e como um touro não é nenhuma almofada de alfinetes, porque raio é permitida tal actividade onde se massacra assim um animal? É algo que gostaria de discutir com esses f.d.p. (lamento a linguagem, mas estes são o que são e são-no, porque tal como a Miss Kin não acho algo discutível), porque isto é inegável.

Paloma said...

Também não entendo! Apoiado, miss Kin!

fd said...

Eu implico com a palavra “respeito” ou pelo menos com a forma de a utilizarem. Que tal respeitarem o sofrimento? Que tal respeitarem as pessoas que se indignam com a realização de atrocidades? Que tal respeitarem a moral que se ofende com a tortura e morte de animais com o objectivo fútil de “divertir” e “entreter”.

Eu tenho as minhas convicções “desfavoráveis” à religião. Compreendo que haja pessoas que não gostem de ouvir as minhas opiniões e quase que automaticamente me calo para não “ofender” mas onde fica o respeito pela minha liberdade de opinião? “Respeito” dá para tudo.