Sunday, July 16, 2006

Insensibilidade Experiente

"Envolve-me lentamente uma carapaça de insensibilidade; verifico-o sem me queixar. É também um desfecho natural, um modo de começar a tornar-me anorgânico. A isto costuma chamar-se, segundo creio, a serenidade da idade. É algo que sem dúvida deve estar ligado a uma viragem decisiva nas relações entre as duas pulsões cuja existência supus. A transformação que a acompanha não é talvez excessivamente forte; permanece cheio de interesse tudo quanto tinha outrora, mas há um certo eco que falta; eu, que não sou músico, represento-me esta diferença como uma questão de usar ou não o pedal. A pressão sensível e incessante de uma enorme quantidade de sensações importunas deve ter apressado este estado prematuro, esta disposição a sentir tudo sub specie aeternitatis*."

Sigmund Freud, in 'As Palavras de Freud'

*sob um aspecto de eternidade

Penso q isto acaba por ser uma justificativa para se viver nos "claustros", sempre resguardado das adversidades da vida, pelo menos daquelas q agora se podem evitar, de qq forma, esta teoria faz com q se percam tb parte das coisas boas q a vida tem para oferecer.

2 comments:

Faisca said...

As escolhas de estilos de vida ou de negociação das situações, devem ser respeitadas. Eu sei hoje que o que para mim faz sentido, para alguém é absurdo e nem por isso a sua forma de ver está menos certa que a minha, apenas opostamente diferente. Viver as adversidades desta vida enclausurado nos nossos próprios pensamentos, é só mais uma maneira de se viver a mesma coisa...

bijos:)

P.a.t.a.n.i.z.c.a. said...

Pois... aqui já tava o "Id" do Freud a deixa-lo mal.. se é q me entendes.. LOLOLOL