Tuesday, April 24, 2007

Conversa de encher chouriços

Porque é que continuamos a usar este tipo de bengala social?
Ok, quando estamos num elevador com o vizinho que cumprimentamos todos os dias de passagem, e do qual, a única coisa que sabemos é que mora no 3º direito do mesmo prédio que nós, tudo bem, ficaria estranho se não o fizessemos, mas com pessoas com quem temos uma grande ligação, ou que tínhamos em tempos, não se justifica, ou bem que se quer falar e se tem real interesse naquilo que se passa na vida da outra pessoa, ou mais vale estar calado.
Não suporto ter a noção de que se fala por falar, aquele habitual, "Olá, tudo bem?", a que se responde habitualmente "Tá tudo" e que depois se passa muito rápido ao "Já viste o calor que tem estado?!" e que tem a resposta "Ya ya, muito fixe, é pena estar a trabalhar"...
E quando estamos diante daquela pessoa com quem se quer ter uma conversa séria e, sabe-se lá porquê, apendemos a não ir directamente ao assunto? Eu sei que nestes casos a decisão de usar esta bengala, vem da falta de coragem de enfrentar a situação ou de ter um bocadinho de tempo extra, para se pensar no que se vai dizer, mas caramba, se se quer falar, que se traga o "texto estudado de casa".

O tempo que se poupava se nos deixássemos destas conversas da treta! É que muitas vezes estas conversas têm que ser pensadas, sim porque na maioria das vezes as conversas de encher chouriços chegam à cabeça, depois de termos pensado "e agora o que é que eu digo?" e depois ainda temos que pensar o que dizer... Ou seja, perda de tempo dupla, ou mesmo tripla!

Abaixo a conversa de encher chouriços!!!

Foi só uma ideia...

5 comments:

anacoreta said...

Não concordo que devas levar o texto estudado de casa. Sendo uma pessoa que faz sempre isso posso garantir-te que nunca resultou! Por mais respostas que te lembres durante o estudo, a outra pessoa vai sempre usar aquela que tu nunca imaginaste. O melhor mesmo é uma pessoa deixar-se ir e depois não se arrepender do que disse. Afinal, de certeza que fizemos o melhor que podíamos! E, infelizmente, não são as palavras que escolhemos que definem o que os outros sentem...

anacoreta said...

P.S. - Já começavas a fazer falta por aqui... ;)

Niki said...

Apoiado!!!

Odeio as conversas de elevador! Que constrangimento!!!

beijinhos

kiss me said...

Até porque se se pensa muito e se se põe com conversinhas de chacha/xaxa (não sei como é que se escreve) o elevador chega ao 3º andar num instante...

bonifaceo said...

Eu é mais o momento em que ei-de dizer. Não que precise que a conversa seja favorável, mas porque poderei achar o assunto um pouco delicado e então é melhor mesmo falar de outras coisas primeiro, mas nada de conversa de encher chouriças, conversa normal de coisas de que também se quer falar e partilhar e outras que vão surgindo, e então lá mais para o final do encontro falar na tal coisa importante de que se andou uns dias a pensar.
Beijo.