Tuesday, July 22, 2008

Tadinhos dos portuguesinhos

Ontem vi a repostagem da Sic que falava do sobrendividamento dos portugueses.
Até aqui não havia novidade, há muita gente nos dias que correm que não consegue pagar todos os empréstimos que contraíu, entre os que realmente precisavam, e aqueles que acharam que não fazia mal porque dava para pagar, há todo um leque de tipos de crédito para coisas não essenciais.
Mas pronto, cada um é como cada qual, embora eu seja 100% contra empréstimos; sou pelo gastar o que se tem (créditos para casa e possivelmente carro, são muitas vezes necessário por não haver outra maneira de se conseguir fazer a compra, esses não contam). O que me deixa doida é mostrarem gente que não consegue pagar os empréstimos do jeep e da vivenda! Ou como ontem apareceu um rapaz que tinha espatifado o carro e continuava a pagá-lo (é muito mau, acredito!), mas como precisava de ter carro, comprou outro igual ao 1º, ou seja, espatifou um Golf e foi comprar de seguida, outro Golf.

Ora vejamos, de momento tem 2 empréstimos, altos acredito, porque um carro como aquele não é barato... E comprar um carrinho mais maneiro que se conseguisse pagar, não?!

Fico possessa quando nas imagens estas pessoas estão afogadas em electrodomésticos de última geração, plasmas e afins... O que é q estavam a pensar quando compraram tudo com créditos, uns em cima dos outros? Qual era a necessidade?

Não percebo e muito menos tenho pena.

2 comments:

bonifaceo said...

Podes crer. Ainda não percebi o pensar dessa gente.

fuschia said...

Bem eu tenho pena.Sou contra os emprestimos,mas tb acho que é muito fácil falar de barriga cheia.Com as entrevistas que tenho ido, já percebi que se paga facilmente o ordenado minimo..ora isso são uns 400 e tal euros..Por amor de deus, um casal que faça 800 ou 900 euros por mês, e tenha um filho por exemplo, onde vai arranjar dinheiro para um frigorifico, que eu já considero um bem essencial?Acho que cada caso é um caso, e temos que ter noção que há pessoas que infelizmente, se não fizessem créditos nunca teriam dinheiro para comprar nada. Mas tambem concordo que, (os portugueses principalmente) gostam muito de dar umas voltas no seu carrinho novo para mostrar aos vizinhos.Infelizmente em muitas coisas continuamos um País estupidamente saloio.