Sunday, October 18, 2009

A dor


dor (ô)
(latim dolor, -oris)
s. m.
1. Sensação mais ou menos aguda mas molesta.
2. Pesar, mágoa. = sofrimento
3. Dor de alma ou de coração, mágoa profunda.

Vem em várias formas, de várias fontes, há as físicas e as psíquicas.

Hoje venho falar daquela que combina as duas coisas, dói tanto que parece uma dor física, dói tanto que apetece enfiar a mão dentro do peito e tirar tudo o que está a doer.
Para esta dor não há panaceia, nem há remédio. Não passa se tomar uma aspirina, nem se puser um emplastro, muito menos com aloé vera.

Pura e simplesmente não passa.

Dizem os entendidos, que passa com o tempo, mas enquanto para tudo o resto o tempo passa depressa, para fazer passar esta dor, não se movimenta sequer.

O peito jaz agora vermelho, de tanto se tentar tirar a dor à alma...

5 comments:

Antígona said...

É vivê-la intensamente. Deixar que nos consuma. Só assim se desfaz.
O tempo tende a crescer quando a combatêmos; quando não nos damos o direito de a sentir; quando a racionalizamos.
Força :)

James Lewis said...

Tens de abrir um Clube de Combate... e desatar a extravasar os males que te querem consumir.

Força, um round perdido... não invoca a perda do combate!

Sai sai... coragem gadget :p!

Miss Kin said...

Obrigada James! Fizeste-me dar a valente gargalhada!

Go go courage gadget! :P

Obrigada a sério!

fd said...

Infelizmente para ti, só posso dizer-te que este post está muito bom. Pouco há a acrescentar à descrição mas utilizo regularmente a expressão “buraco no peito” ou “correntes de ar no peito”.

No entanto, clinicamente (apenas) não estás correcta quando dizes que não há remédio, pois conforme o caso, os ansiolíticos podem ajudar a interromper um ciclo e ganhares espaço para recuperares. Como alguém disse, há caminhos que temos de percorrer…

Desculpa se me estou a intrometer, a ser incorrecto ou a expor-te. Qualquer coisa, diz.

Miss Kin said...

fd, estás à vontade, é bom ouvir palavras de conforto, mesmo vindas de quem nunca se viu.

Correntes de ar no peito... Hummm, sim quando o espaço fica vazio, há mais facilidade de aparecerem correntes de ar...