Sunday, March 14, 2010

Chamam-lhe chapada de luva branca, ao que eu chamo só de humanidade

"Há pouco mais de dez anos, quando Timor era palco da destruição provocada pelas milícias pró-Indonésia e em todo o mundo se multiplicavam as manifestações de solidariedade e o envio de ajuda financeira, Alberto João Jardim garantia que a Madeira não daria um tostão, que cada um se deve governar por si. No entanto agora, depois da tragédia que se abateu sobre a ilha, a Madeira vai contar com muita ajuda, de dentro e de fora, e, entre essa, com 750 mil dólares oferecidos pelo governo timorense"

Saliento esta parte da notícia: "Em 2009, o orçamento da República Democrática de Timor Lorosae foi de 902 milhões de dólares, pouco mais de 644 milhões de euros. Uma verba que é mais de duas vezes inferior ao orçamento da Região Autónoma da Madeira que é de cerca de 1.500 milhões de euros."


Há gente que é sempre a marcar pontos...

5 comments:

Mnemósine said...

Uma chapada que não lhe vai doer muito. Há pessoas que nunca mordem a língua.
Timor esteve muito bem.

Paloma said...

Muito muito bem, Timor!

bonifaceo said...

O "Adalberto" João é um parvo, só pensa nele, egoísta da... se não fosse pelo povo que não tem culpa, não devia de levar nada. Espero que nos próximos tempos sempre que os jornalistas lhe façam uma entrevista, lhe perguntem o que pensa deste caso que descreveste.

Fuschia said...

Acho que Timor devia ter ficado com o dinheiro para si mesmo. A Madeira vai ter muitos apoios da UE e Timor também é uma ilha que está tão ou mais sujeita ao mesmo tipo de catástrofes naturais.

(e em caso contrário o tio Berto estar-se-ia cagando para Timor)

Goldfish said...

O Jardim está-se nas tintas para isso, é o que é! E ainda deve pensar dos outros "olha que cambada de tansos, pobres que sei lá e ainda me mandam dinheiro!".