Monday, May 29, 2006

Vamos ser "físicos"?

Para mim tocar nas pessoas com quem convivo faz parte do processo da convivência. Os beijos de cumprimento, um abraço apertado, um toque no braço, uma festa nas costas, agarrar a mão, faz tudo parte da minha maneira de me relacionar com as pessoas, até mesmo com o mundo!
Mas dou por mim a ser uma raridade nos dias q correm, cada vez q alguma destas coisas acontece, há sempre alguém q vê uma segunda intenção (claro q só pode ser alguém q ñ me conheça de todo!).
Ñ há nada como um abraço apertado de um amigo!
Preciso do toque para transmitir às pessoas o quanto gosto delas, de estar com elas. Sou capaz de estar a ter uma conversa com um(a) amigo(a) de mão dada, sem q isso queira dizer mais do q "estou a ter mto prazer na tua companhia". Cada vez q toco em alguém q gosto, consigo sentir a energia positiva q advém desse toque, faz-me bem!
Dizia-me um amigo q agora se tinha tornado uma pessoa mto "física", q precisava tocar nas pessoas, e disse isto a justificar-se de me ter tocado, já ñ me lembro se agarrou na minha mão ou me abraçou, ora ñ há necessidade de justificação, há necessidade isso sim, de haver mais gente q sinta as coisas como nós, para ñ sermos mal interpretados.
Penso q se nos começarmos a tocar mais uns aos outros (ñ estou agora a falar só de amigos, mas de, sei lá, tocar na pessoa q se deixou passar à frente ou qq coisa no género, quando é oportuno claro!) vamos aperceber-nos das pessoas no geral, vamos ter a percepção q cada um q passa por nós, é uma pessoa real.

1 comment:

Faisca said...

Estou contigo.
Sou como tu e também isso me cria situações embaraçosas por vezes, mas nem por isso vou deixar de ser como sou. Também gosto de sentir e dar calor humano sem que por detrás se esconda alguma outra intenção.