Wednesday, October 04, 2006

À espera

A cada dia qu passa vejo-me obrigada, por várias razões, a esperar.
Seja por um rolo de fotografias que está a revelar, seja pelas horas de abertura de uma farmácia, por autocolantes que não chegam ou, claro, por pessoas, há sempre tempos mortos, que se não fosse pela escrita seriam bem mais difíceis de passar.
Como a pessoa impaciente que sou, ainda há bem pouco tempo, estaria com bichos carpinteiros, a fazer o pino, ou já a espumar da boca, mas o que é certo é que acabei por me habituar e conseguir ficar no relax...
Ando a trocar as tolerâncias das esperas, antigamente não esperava por nada nem ninguém; ninguém, quer dizer no verdadeiro sentido da palavra, num encontro ou coisa do género; esperava isso sim por uma pessoa, a especial do momento, aquela que me fazia suspirar, que me dava "butterflies in my stomach". Por este esperava o tempo que fosse preciso, sempre na esperança que tudo corresse bem no fim, sempre achei que "quem espera sempre alcança"! Ora nos dias que correm, já estou ciente de que "quem espera desespera" e como tal é preferível não esperar nada de ninguém, pelo menos neste aspecto. Hoje pura e simplesmente não espero, é agora ou não é.(ponto final parágrafo sem travessão, para nem dar hipóteses...)
Se calhar estou mesmo a ficar "velha" e céptica, a deixar de acreditar.
...

Bem cá continuo à espera de uma hora certa, sempre com a minha viatura por companhia.


04-10-06 2.52 p.m.

5 comments:

Niki said...

Mais uma coisa em comum, a impaciência! eheheheeh

bom feriado!


beijoca

ZUKO said...

Há coisas e pessoas por quem vale a pena esperar.

cuotidiano said...

Só valeria a pena esperar por algo (ou alguém) inesperado - por isso, não vale a pena esperar.

Mais vale irmos andando, que a Vida acontece (e quando menos se espera...)

amazing said...

Olá!
Estava a ler o teu post e ia-te falar no peso da idade em tom de brincadeira, mas já o referiste no final.
Percebo perfeitamente cada palavrinha que escreveste.
Mas há-de vir o dia, tenho a certeza.
KISS

as velas ardem ate ao fim said...

Avec du temps et de la patience, les feuilles de mûrier se transforment en robe de soie.".


[ Proverbio chinês ]


(Com tempo e paciência, as folhas da amoreira transformam-se em vestidos de seda)


Será?????

Bjinhos