Thursday, February 11, 2010

Ahh como a Cigarra...


Estou a ver o debate da AR, e nesta altura estou a tentar perceber, o que a deputada Sónia Fertuzinhos do PS, quis dizer com a sua intervenção, em que fazia uma descrição do que foi feito pelo governo do seu partido desde 2005, e ia dizendo "como a Cigarra".
Ora não sei que outra história de crianças há com cigarras, mas na que eu conheço, a Cigarra, cantou o Verão todo, sem fazer nada, enquanto a Formiguinha amealhava para o Inverno... Traduzindo para o contexto, então a deputada esteve a dizer que o governo passou este tempo todo, desde 2005, a cantar muito e a fazer pouco.

Ah! Assim já se percebe! Cá está uma deputada verdadeira na sua intervenção, mesmo sendo contra o seu partido. Parabéns Sónia Fertuzinhos, não há nada como a verdade!


(pelo que lhe ouvi e vi, pareceu-me alguém que realmente acredita e que se calhar também se esforça, para que as suas crenças valham de alguma coisa, mas acho que está ou no partido errado, ou ainda não deu conta que luta contra a maré...)

4 comments:

Cláudio said...

Ahahahah essa foi boa...Eles ja nem sabem o que dizem ao certo ja é tanta mentira...

Goldfish said...

Ui, se for daquelas que realmente quer ser diferente, é bom que se acautele... Lembro-me de um deputado recém-eleito pelo PSD que teve a desfaçatez de dizer que ia doar parte do ordenado de deputado para caridade porque o que ganhava com a sua profissão chegava - passados uns dias até veio a público retratar-se, que afinal eles nem ganham assim tanto... A senhora tem razão, é muita cigarra, a cantar, e nada mais.

jg said...

Querida, não embarques na letra da Fertuzinhos.
O passado político (pq o outro igualmente pouco abonatório) é lastimável.
Fez-se deputada por faltar à palavra e vingou por pressão de distritais e entradas de dinheiro fresco.
Foge-me desta gente!!!

Coincidências, ou não, as letrinhas de verificação deste comentário, assinalam "coins".
Até parece que aludi Judas!!!

Miss Kin said...

jg, estes "captchas" são tramados, vira e mexe saem-se com coisas bem acertadas!

Quanto à sra nunca tinha ouvido falar dela, mas pareceu-me convicta, agora a história da cigarra é que me ficou atravessada... A não ser que ela soubesse mesmo o que estava a dizer e esperasse que o resto, ouvisse como um erro!