Wednesday, August 30, 2006

Cavalheirismo

Há pessoas q confundem todo o processo feminista de igualdade de direitos, com a abolição do cavalheirismo... Normalmente são homens.
Quando mtas vezes, se espera q alguém nos abra a porta, ou nos deixe passar à frente em direcção a uma mesa e isso ñ acontece, às vezes "reclamamos", e do outro lado ouvimos o comentário de sempre, "Vocês querem a igualdade de direitos..."...

Amigos, igualdade de direitos ñ significa q queremos ser tratadas à balda, é por isso q se diz igualdade de direitos, ñ se diz igualdade de géneros, embora faça mta questão de votar e receber o mesmo q um homem pelo mesmo trabalho, ñ deixo de querer q um homem tenha educação e seja cavalheiro, isto ñ me rebaixa em nada, até me enaltece, uma mulher gosta sempre de ser tratada como peça rara q é. Capisce?!

Vá vá, aprendam q eu ñ duro sempre! ;o)

5 comments:

r. said...

Hmmm, não percebo muito bem o conceito de "uma mulher ser uma peça rara"; são tão raras quanto qualquer outro humano que caminhe à superfície da Terra! De facto, há mulheres que são "uma peça rara", mas quando ouço isso, não o encaro como bom agoiro!!!

Sobre a questão do cavalheirismo, acho que se trata mais de uma tradição social, do que de uma "obrigação" ou "necessidade feminina" (p.f., nota as aspas).

Rafael said...

Foi uma emancipação só para o que interessa ;). E se te consideras mais ou menos especial por um homem te deixar passar à frente, por te abrir a porta do carro, por te puxar a cadeira quando te sentas... bem, acho que não estás a ver o que realmente é importante :).

E concordo com o Rodrigo: é uma questão social, que infelizmente, as mulheres ainda acham que significa alguma coisa para elas. Cavalheirismo é a lata comparado com o ouro do respeito e romantismo.

Portem-se bem :).

João Silva said...

Eu por acaso(e n estou a bricar) custumo ter atenção a esses pormenores de cavaalheirismo.
mas um dia...
ía a um bar que tem uma porta com mola, tinha por hábito passar na frente e segurar a porta para uma menina que por vezes ía comigo entrar sem ter de empurrar a porta pesada...
uma vez ela contava que eu fisesse isso e por acaso ía distraido e larguei a porta quando ela entrava!

Resultado: Um susto valente paa ela (conseguiu por a mão á frente da cara senão era bem pior!)mas mesmo assim a pancada foi valente.
E a vergonha, com toda a gente a rir á nossa custa! Ela furiosa pois passou vergonha por minha causa e eu a fazer figura de bronco. LINDO!

Niki said...

não é só uma questão de cavalheirismo, por vezes é uma questão de educação... eu reparo se um homem não me dá passagem... claro que também há muitos que o fazem para poder apreciar o que está atrás, mas isso é outra história...

beijos
*

L.B. said...

É bem verdade
Cavalheirismo tem muito que se lhe diga,
Eu por regra de educação vou fazendo

Mas já me aconteceu ao contrário,

Sabem o que é uma mulher abrir-vos a porta do carro ou empurrarem-vos a cadeira quando estão à mesa... he he, isso sim é lindo, ai é a pura prova da igualdade.

Portanto todos nós podemos fazer a nossa parte

Todos gostam