Tuesday, April 03, 2007

E se...?

Desculpem se ando dispersa, não tenho escrito nada e não é por não ter nada para escrever, passam milhares de coisas pela minha cabeça, tento memorizá-las para poder desenvolver aqui, mas elas passam a uma velocidade estonteante e sem constante papel e caneta...

Escrevi há uns tempos que tinha uns amigos que diziam que não se conseguiam apaixonar, agora ando a ver o assunto por um ângulo diferente, e se não souberem que estão apaixonados? E se já não conseguirem identificar o sentimento? E se depois de se aprenderem algumas coisas, nada volta a ser como antes e aquele friozinho na barriga de adolescente não acontece porque as nossas defesas não deixam? Conseguiremos nós identificá-lo? E se o confundirmos com outra coisa qualquer, uma grande amizade por exemplo? E se...

7 comments:

bonifaceo said...

Faz como o outro, ou pronto, o outro sou eu, aponta tipo uma frase ou tópico no telemóvel (escreves como sms e guardas).

Isso da confusão... mas tipo, normalmente acho que damos pela... eu gosto de chamar-lhe faísca. A mim a faísca não dá logo, dá com o desenvolver da relação, normalmente poderá haver uma, sei lá, uma pré-faísca. Raio das faíscas...
Isso de que falas das amizades, já pensei foi no contrário, ou seja, e se numa amizade está um amor? Mas agora acho que isso seria forçar algo, só porque por vezes não há ninguém e pensa-se nessa possibilidade que poderá estar ali (de um amor) e não a vemos. Hoje acho que sei que não havia nada, acho porque não sou de respostas definitivas em relação a certas coisas.
Beijo.

Miss Kin said...

Bonifaceo e quando há a amizade q poderia ser algo mais e há faísca?

Pois... Complicado...

bonifaceo said...

Eu acho que aí só há que avançar. Se não houver certezas, como o outro, pronto, já se sabe, o outro sou eu, aí é mau, quando há um avançar, com boas e divertidas conversas e pum, faísca (em mim), enorme frenesim (em mim) que falas no post acima e se quer continuar e encontros e há um recuo da outra parte, aí é mau, em mim cria uma grande incerteza embora tenda para o lado do, pronto, já era, mas se te dás lindamente com essa pessoa e ambos se tentam ver muito, então, olha, avança, não há nada de complicado, digo eu que não percebo nada destas coisas.

L.B. said...

É uma questão que me tem feito pensar muito ultimamente,

Cheguei à conclusão que existem factores responsaveis por essas decisões e sentimentos.

- As prioridades da nossa vida
- A nossa situação actual em relação ao amor.
- Se estamos bem com a nossa consciencia.
- E claro, comunicar, porque na maioria dos casos a falta de comunicação fica por terra

é claro que exitem mais, cada um com os seus

:)

Miss Kin said...

Bonifaceo... Seria tão simples assim...

L.B. acho q a causa são esses dois 1ºs factores...

bonifaceo said...

Eu sei, estas coisas normalmente não são nada fáceis, principalmente no início, nos primeiros tempos que descobrimos que estamos enamorados por alguém, mas como disseste que estavas calma, isso acho que ajuda bastante, a mim torna-me menos receoso e mais seguro.

L.B. said...

É preciso procurar a nossa paz interior